segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Vladimir Putin

Enquanto não tenho novidades com bonecos mais fresquinhos, que ficam desde já prometidos para muito breve, vou postizando outros já com algum caruncho. Nem é o caso deste Putin que foi feito e publicado ainda este ano, mais precisamente na edição Março da MAGAZINE - GRANDE INFORMAÇÃO. Também escrevi o texto que segue de seguida para quem tiver pachorra para ler. Escolhi o Putin para este post porque vem no seguimento do camarada Bush, um arqui-inimigo de estimação. Em termos de caricaturas o Bush fica entalado entre o Obama e o Putin. Não é coincidência!

Vladimir Putin

O clima influencia categoricamente a personalidade de um povo — quase sempre a temperatura de um país coincide com o carácter dos seus habitantes. As pessoas que vivem com os pés gelados tendem a ser menos simpáticas; o frio entranha-se na alma e transforma-as em blocos de gelo. Ficam sérias, trombudas e mal encaradas. Também ficam trabalhadoras e rigorosas, o que é bom para o país onde moram. Está provado que os graus negativos desenvolvem as populações. Mesmo assim, prefiro viver neste atraso de vida e ter muito sol e calor durante o ano.
Os esquimós são uma excepção a esta teoria da temperatura. Apesar de viverem em iglus são uns seres amáveis com o coração quente (se calhar é mais um equívoco do meu imaginário infantil e na realidade são umas bestas quadradas mal-humoradas).
Desculpem! Estou a falar dos esquimós e devia estar a falar dos russos e do seu presidente.
Os povos de Leste, neste caso os russos, padecem da já referida frieza de espírito. São fechados e enigmáticos (como os chineses). Nunca se sabe se vem um abraço ou um tiro. Esta faceta misteriosa tem algum encanto, mas ao mesmo tempo impõe respeito. O mundo relaxou em relação à ameaça soviética depois da queda do muro de Berlim mas houve sempre algum exagero em relação a esta ameaça. Não eram os bichos papões comedores de crianças retratados parcialmente nos filmes americanos. Ficámos com esta ideia errada à conta de muita propaganda anti-comunista mas de qualquer das maneiras, não se deve subestimar quem tem o poder de destruir o mundo em segundos. Se têm no currículo um facínora como o Estaline não estão livres de uma recaída. Não são para brincadeiras e o seu presidente também não. Os Tchetchenos que o digam. Os russos são muito pragmáticos e frios (lá está) a resolverem os seus imbróglios internos. Deve ser uma frustração ser terrorista neste país, não há negociações, os reféns são carne para canhão.
Vladimir Putin tem uma pesada herança sobre os ombros, o país está em ebulição e a mudar rapidamente. Passou-se de um sistema comunista totalitário para um capitalismo desenfreado. Surgem as máfias e os milionários com poder de compra e necessidade de protagonismo. Se cá em Portugal temos os patos bravos resultantes da nossa amostra de revolução, na Rússia temos gansos selvagens à escala mundial. Putin vai tentando meter um travão neste descontrolo, mas ao mesmo tempo vai enchendo os bolsos. Consta que é um dos homens mais ricos do mundo. De um ex-agente da KGB com esta cara “cortada à faca” não se espera que largue o “osso” do poder facilmente. O povo é que sofre, os camponeses tiveram de se adaptar ao marxismo/leninismo e agora passados estes anos todos de lavagem cerebral têm de mudar radicalmente para uma nova realidade. O problema é que as mentalidades não mudam de um dia para o outro e Putin tem a tarefa árdua de devolver à Rússia a grandeza perdida. Boa sorte e um brinde (com vodka). Nasdarovia!

4 comentários:

Becosoide disse...

Continuas em GRANDE PETER, abraço
Tito

O maior comentador do blog disse...

Muito bom, mais uma vez.
Bem apanhada a carranca do animal!
Abraço

Pedro disse...

Grandes caretas!

Estreante nos comentários disse...

Até parece que só há grandes estadistas lá em casa guardados nas prateleiras... para quando uma caricatura de alguém mais terra a terra... tipo a Shakira?!