quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

O Meu 1º Livro do Sporting - 2

Bons tempos hein?! Na Era dos Cinco Violinos ganhámos 7 campeonatos em 8 anos. Quem os viu jogar diz maravilhas destes cinco magníficos. Dizem que foi a melhor linha avançada de sempre do Sporting e provavelmente a melhor do futebol português. Eu vou mais longe: para mim foi a melhor avançada do universo, melhor ainda que a dupla Postiga/Saleiro. Tenho muito orgulho em saber que foi o meu avôzinho quem montou este quinteto fantástico.
Aqui está ele a afinar os violinos. Quando chegou a presidente já lá estavam o Peyroteo, o Albano e o Jesus Correia. O meu avô juntou ao grupo o Vasques e o Travassos e fez com eles uma sociedade chamada Cofril para lhes garantir emprego e não sairem do Sporting.
Este é o Azevedo, o guarda-redes da equipa dos Cinco Violinos. Por trás de uma grande equipa está sempre um grande guarda-redes como era o caso do Azevedo. Chegou a jogar de braço partido. Naquela altura não havia substituições e os jogadores não eram as flores de estufa que são hoje em dia.
O Manuel Marques, também conhecido pelo mãozinhas de ouro, foi durante 40 anos o massagista do Sporting, de todas as modalidades.
Fernando Mamede, campeão de atletismo e campeão das neuroses. Quando estava em dia sim era campeão da Europa. Quando estava em dia não nem arrancava.
Este era um campeão de todas as maneiras e feitios. Lembro-me de assistir à maratona de Los Angeles, a altas horas da madrugada, e de ver o Carlos Lopes em directo a ser campeão olímpico. O primeiro de sempre. Dizem que comia um cozido à portuguesa antes das corridas.
Os gémeos Castro não chegaram ao nível do Carlos Lopes e do Mamede, mas também fizeram história no atletismo do Sporting.
Esta pançada que o Boloni teve no primeiro ano como treinador do Sporting, Campeonato, Taça de Portugal e Supertaça, muito deve ao Jardel. Foi o único treinador do Sporting a conseguir esta proeza, dos três títulos no mesmo ano. Ficou para a história.
Sem público nas bancadas foi o que aconteceu ao Sporting em Belgrado num jogo da UEFA contra o Partizan. O jogo foi à porta fechada porque o estádio estava interdito. Os adeptos tinham-se portado mal no jogo anterior.
A três dias da final da Taça das Taças, que o Sporting ganhou, o Hilário facturou a tíbia e o perónio numa jogada acidental num jogo contra o Setúbal. Foi da cama do hospital que assistiu ao jogo e que mandou um telegrama a desejar boa sorte à equipa.
Figo versus Ronaldo. No outro dia tive uma "discussão" com um amigo que me dizia que o Ronaldo não era tão bom como o Figo. Que o Figo no seu auge foi melhor. Obviamente não concordei, daí ter sido uma discussão. O Ronaldo, apesar das unhas pintadas, da pochete e dos saltos altos, foi o melhor jogador que alguma vez vi jogar ao vivo. Para mim está a anos de luz do Figo. Mesmo o Eusébio não acredito que fosse tão bom. O Ronaldo é um monstro do futebol e se continuar assim pode chegar ao Olimpo onde estão o Pelé e o Maradona.

6 comentários:

André Santos 26 disse...

Num livro sobre a história do Sporting, eu teria certamente lugar cativo...
Bom Natal!

Felizardo Cartoon disse...

Partilho a opinião relativamente ao Ronaldo!

O homem é um génio da bola! O Messi pode bater-lhe em todos os indicadores e estatísticas, mas eu prefiro assistir a um jogo onde actue o primeiro.

O Messi pratica aquele futebol de salão, de passe curto, finta curta, irritante e enervante.

o Ronaldo assume o jogo de peito aberto, com um jogo corrido, voluntarioso, rasgado e empolgante.

Estabelecendo aqui uma analogia com a tourada, dir-se-ia que o Ronaldo faz a pega de caras, o Messi fá-la de cernelha.

Acresce que o Ronaldo tem pose de toureiro, na maneira como marca os livres, que não raras vezes acabam em golos! tem pose de toureiro até na maneira como os festeja!

O futebol também vive destas encenações, sem as quais tornar-se-ia um exercício sofrível em termos de dinâmica de espectáculo.

A Espanha (Barcelona sem Messi) foi campeã do mundo, mas ver esta equipa jogar, dá-me um efeito xanax:
Sonolência garantida. Marcam um golo e põem-se a jogar "ao meio", estilo carrocel.
O Figo também foi excelente, mas o Ron Ron, está uns furos acima.

Já agora parabéns pelo trabalho que não precisa de adjectivos da minha parte!
Boas festas!

Hermínio

Vostradong disse...

No auge da sua forma, o Figo, quando estava num dia não, fazia dois cruzamentos milimétricos que acabavam em golo. O Figo não fintava à toa. Tudo tinha elegância e propósito, sem esquecer a inteligência. Como o Zidane. O mesmo tipo de futebol. É um tipo de jogador que não se limita a jogar bem, mas que faz todo o colectivo funcionar. O Maradona era do outro mundo porque, além de malabarista, tinha também isso, punha toda a equipa a jogar. O Ronaldo não tem isso. É muito bom sozinho com a bola, talvez o melhor do mundo, ou um dos melhores, mas falta-lhe inteligência e visão de jogo.

Pode ser uma questão de gosto. Mas para mim, o Ronaldo não está no Top-10 dos melhores jogadores que vi jogar.

PRF - Traços Gerais disse...

Caro André Santos, ainda tens de fazer mais qualquer coisinha para mereceres aparecer no livro do Sporting.

Hermínio e Vostradong Bom Natal para vocês. Também para o André Santos.

Bom Natal para todos!

mcr disse...

Acho o figo melhor, o Eusébio e o Pelé 100 vezes melhor e o Maradona umas 85 vezes melhor. O Ronaldo é um altleta de outro mundo, 100 vezes maior do que qualquer dos outros, em termos físicos... Mas o que ganha no físico, perde na cabeça (o que se reflete nos saltos altos e na pochete de que falas). Quando ele chegar aos 30 isso vai ficar evidente. Para já, estou de acordo que se deve aproveitar, porque é espectacular.

Francisco Martins disse...

Gosto de todas! :)
Eu não muito fã de futebol, embora - e sob pena de ser expulso deste blog - simpatize mais com o Benfica, devido apenas a inúmeras e sucessivas lavagens cebrebrais da parte do meu pai desde que meti o pé fora da barriga da minha mãe. CONTUDO, acho que o teu trabalho está fantástico e mais uma vez dou te os parabéns!
Boas festas ;)