terça-feira, 7 de abril de 2009

A Crise

A crise chega a todos e nem a literatura infantil se safou. Houve rescisões de contratos em série nalgumas das histórias mais famosas da nossa infância. Foram momentos dramáticos vividos por estes personagens que trabalhavam juntos há séculos. O anão que foi despedido está inconsolável.

Fiz este cartoon para a edição deste ano do Porto Cartoon 2009 que tem como tema “As Crises”. É a primeira vez que participo neste Festival. O prémio é aliciante, metade em dinheiro, metade em garrafas de Vinho do Porto. Deve ir parar às mãos de um enteado qualquer da organização.

Em relação a esta crise não sei o que dizer. Parece que é pior do que as anteriores. É indiferente para Portugal, estamos em crise desde 1143. Só sei que os restaurantes continuam cheios, os centros comerciais a abarrotar e o cinema, o teatro e a ópera sempre lotados. Mas estamos em crise.

Falta-me a parte do cérebro com o departamento da economia. Não consigo perceber absolutamente nada do assunto nem que frite os poucos neurónios que me restam. Nem com um batalhão de economistas à minha volta cheios de gráficos e explicações eu ia lá. Mais facilmente me entenderia com um chinês do que com um economista a falar de Spreads, Euribors, Hedge Funds, Defaults, Subprimes e afins. É equivalente ao discurso de um técnico informático a explicar o que se passa com o computador.

Uma coisa é certa, esta crise tem as suas vantagens. Este tema é um óptimo desbloqueador de conversas. Nem sei do que é que as pessoas conversariam se não fosse a crise. Foi um óptimo motivo para me aproximar de muitas pessoas com quem de outra maneira não teria tema de conversa. A crise abriu-me imensas portas para novas relações.

7 comentários:

Via disse...

primeiro foi a bd com o cunhal a comer criancinhas a concorrer ao prémio da Câmara da Amadora. Agora é a suspeição sobre o vencedor deste concurso... um enteado.

Assim fica dificil de ganhar pois parte antecipadamente derrotado.

Todavia, parabéns pelos seus cartoons: pela arte e pela irreverência, cada vez mais necessária. Já conhecia alguns dos seus trabalhos, publicados na finada revista do Otto C.

Cumprimentos
JS

FÁBRICA das CARICATURAS disse...

Crise...qual crise?? Temos o cristiano ronaldo, temos o deco, o simao..o ricardo carvalho...o bosingua.......o....
Qualquer dia so falta falarmos brasileiro(o que ja esteve mais longe) e somos um povo ...FELIZ!!!!

Francisco Martins disse...

De facto! Pelo que soube através das velhas cuscas do autocarro, a desgraçada da Cinderela anda mais rota do que nunca e está a fazer uma horas extra na casa da brucha má, que esperta como é, aproveita-se da crise e explora-a até ao tutano; a Bela Adormecida anda constantemente à estalada com a cigana Esmeralda porque querem as duas vender contrabando em frente ao Pingo Doce, a Capuchinho Vermelho anda a beijar sapos encantados ra Rua Augusta para ver se ganha uns trocos, a Rapunzel, já nem liga a televisão para não gastar electrecidade e o Principe encantado anda um farrapo desde que a empresa do pai foi à falência, e por isso meteu-se nos copos e agora dorme na rua. A Pequena Sereia anda a vender as joias de família e já está de mala e cunha para se mudar para Angola.

Sim...realmente a crise por enquanto só mesmo nos contos de fadas...é aquele tipo de coisa que toda a gente sabe que anda por aí, mas que nunca ninguém viu. Acaba por ser um bocado como o Bixo Papão.

Francisco Martins disse...

* Brucha=BRUXA!

Naish Mascarado disse...

A perspectiva positiva: é um grande desbloqueador de conversa!
Mas que ela anda aí, anda! É das piores, silenciosa, matreira...

Quanto ao desenho, excelente sentido de humor!

Abraço e boa Páscoa

Anónimo disse...

Qual dos anões é que foi dispensado? O Dunga? O Soneca? O Atchim? Coitado!

Gon disse...

Esses contos realmente foram bem adaptados, realmente com esta crise tá dificil pagar cachêt até aos 7 anões hehe!..